A captação de financiamentos para a pesquisa reveste-se de importância como elemento propulsor das investigações desenvolvidas nos grupos de pesquisa e de fixação de alunos nas atividades de formação, através das bolsas de estudo em diversas modalidades. Os projetos financiados partem de iniciativas institucionais e também dos docentes.


Projetos Institucionais


1) Convênio Secretaria da Gestão Estratégica e Participativa e UERJ;
2) Programa de Pós-Graduação em Enfermagem/UERJ: os desafios da excelência da Produção em Ciência e Tecnologia e da Formação de Recursos Humanos
3) Laboratório de Cuidados a crianças e famílias vulneráveis – LCCFV;
4) Laboratório de habilidades e simulação realística em enfermagem: estratégia pedagógica para promoção da assistência segura;
5) Laboratório clínico de enfermagem em estomaterapia na Policlínica Piquet Carneiro/UERJ;
6) Laboratório de Habilidades e Inovação Tecnológica em Enfermagem;
7) Cantinho de acolhimento aos pais e familiares da criança especial.

Projetos de Pesquisadores (Auxílio Financeiro)


1) VULNERABILIDADES DA SAÚDE SEXUAL DE JOVENS UNIVERSITÁRIOS E SUA INTERFACE COM SUAS PRÁTICAS PROFISSIONAIS: UM ESTUDO BRASIL-PORTUGAL

Equipe:
LÚCIA HELENA GARCIA PENNA (Responsável pelo Projeto), Adriana Lenho de F. Pereira, Joana Iabrudi Carinhanha (egressa mestrado e doutorado), Thelma Spíndola, Prof. Dr. Armando Manuel Marques Silva (Esc. Sup. Enf. Coimbra – pesquisador internacional), Liana Viana Ribeiro (egressa doutorado), Luciane Marques de Araújo (egressa doutorado), Claudia Guedes (doutoranda) e Michelle Maris (iniciação científica).
Descrição: Projeto Prociencia-UERJ. faz parte do subprojeto "Vulnerabilidades da saúde sexual de jovens universitários e sua interface com suas práticas profissionais: um estudo Brasil-Portugal)", vinculado ao Projeto CAPES/PRINT - Edital nº 41/2017 “Força de Trabalho e Práticas Assistenciais na Saúde e Enfermagem: A Internacionalização da produção de conhecimento na atenção básica à saúde através de parcerias sustentáveis”, financiado pelo PROGRAMA PRINT - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INTERNACIONALIZAÇÃO da CAPES, Processo: CAPES-PRINT 88887.311763/2018-00, iniciado em dezembro de 2018 e a ser finalizado em novembro de 2023. Coordenadora Profa. Denize Cristina Oliveira


2) O EGRESSO DA FACULDADE DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E O MUNDO DO TRABALHO

Equipe:
NORMA VALERIA DANTAS DE OLIVEIRA SOUZA (Responsável pelo Projeto), Anna Beatryz Marques Roque, Marcia de Souza Silva, Sheila Nascimento Pereira de farias, Eloá Carneiro Carvalho, Samira Silva Santos Soares, Karla Biancha Silva de Andrade, Sandra Regina Maciqueira Pereira, Carolina Viegas de Melo, Shino Shoji, Thereza Christina Mó Y Mó Loureiro Varella
Linha de pesquisa: 2
Descrição: Esta pesquisa tem como objeto de estudo a satisfação do egresso da ENF/UERJ e as expectativas e características do ingresso da ENF/UERJ como futuro trabalhador de enfermagem. Os objetivos traçados são: identificar a percepção do egresso da ENF/UERJ sobre sua atuação e vivência no mundo do trabalho; e analisar a percepção do egresso sobre a vivência no mundo do trabalho em confronto com a proposta traçada no Projeto Político Pedagógico da ENF/ UERJ e no que a sociedade espera do enfermeiro; caracterizar o perfil do ingresso do Curso de Graduação da ENF/UERJ; analisar as expectativas do ingresso da ENF/UERJ quanto à sua trajetória no curso de graduação e futura inserção no mundo do trabalho. A pesquisa desenvolve-se em unidades assistenciais e de ensino. A abordagem metodológica é a qualitativa e a quantitativa.


3) O RECONHECIMENTO E A VALORIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE UNIVERSITÁRIO

Equipe:
NORMA VALERIA DANTAS DE OLIVEIRA SOUZA (Responsável pelo Projeto), Camila Arantes Ferreira Brecht D Oliveira, Anna Beatryz Marques Roque, Marcia de Souza Silva, Sheila Nascimento Pereira de farias, Raquel Soares Pedro, Thereza Christina Mó Y Mó Loureiro Varella, Carolina Cabral Pereira da Costa, Manoel Luís Cardoso Vieira e Desuíte Helena Peçanha da Silva de Araujo.
Linha de pesquisa: 2
Descrição: Pesquisa quanti-qualitativa, cujo objeto trata do reconhecimento e da valorização do trabalho docente universitário, bem como as situações de prazer e de sofrimento decorrentes da vivência de tal atividade laboral, e suas implicações para o processo saúde-doença destes trabalhadores. Os objetivos propostos são:
I) levantar o perfil socioeconômico e laboral dos docentes das universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro;
II) identificar as situações de prazer e/ou de sofrimento no trabalho destes docentes;
III) analisar a percepção dos docentes sobre o reconhecimento e a valorização de sua atividade laboral;
IV) discutir as repercussões do trabalho docente no processo saúde-doença destes profissionais. Os participantes da pesquisa serão docentes universitários que atuem em universidades públicas do Estado do Rio de Janeiros. A coleta de dados ocorrerá por meio de um questionário estruturado visando captar os dados socioeconômicos e laborais dos docentes. Também se aplicará um roteiro de entrevista semiestruturada visando apreender os dados de natureza qualitativa. A parte quantitativa do estudo será analisada por estatística simplificada descritiva e a de caráter qualitativo será analisada à luz da técnica de análise temática de conteúdo.


4) TECNOLOGIAS DE CUIDADO, ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS DE TRABALHO EM ENFERMAGEM EM ESTOMATERAPIA

Equipe: NORMA VALERIA DANTAS DE OLIVEIRA SOUZA (Responsável pelo Projeto), PATRICIA ALVES DOS SANTOS SILVA, PRISCILLA FARIAS CHAGAS, VANESSA CRISTINA MAURICIO, ANNA BEATRYZ MARQUES ROQUE, BEATRIZ OLIVEIRA NASCIMENTO, DAYSE CARVALHO DO NASCIMENTO, JAKELINE COSTA DOS SANTOS, LIVIA NUNES RODRIGUES LEME, Rafael Seabra Polidoro Cardoso, Caroline Rodrigues de Oliveira, Adriana Raineri Radighieri, Laura Queiroz dos Anjos e Thamires Fernandes Jorge.
Linha de pesquisa: 2
Descrição: Trata-se de uma abordagem de enfermagem especializada, voltada para o cuidado a pessoas com estomias, feridas agudas e crônicas, fístulas, drenos, cateteres e ainda com problemas de incontinência anal e urinária. A demanda pelo cuidado nessa área tem aumentado na população, em função de fatores que incluem maior sobrevida, aumento relativo da população idosa e expressiva incidência e prevalência de agravos como cânceres, diabetes e problemas vasculares periféricos, entre outros. No Rio de Janeiro, a Faculdade de Enfermagem da UERJ é a única instituição acadêmica que oferece Curso de Especialização de Enfermagem em Estomaterapia, e vem apoiando as mudanças e a qualificação do perfil de atuação da Policlínica Piquet Carneiro. Os objetivos são:
1) estruturar o espaço físico da Clínica de Estomaterapia em termos de recursos materiais permanentes e equipamentos;
2) desenvolver processos de qualificação da equipe de enfermagem para atuação na clínica de Estomaterapia;
3) produzir, testar e validar um software baseado na sistematização da assistência de enfermagem ao cliente com feridas, estomas e incontinências. O referencial teórico se baseia tanto na teoria do autocuidado de Dorothea Orem quanto no campo da Estomaterapia com ênfase no cuidado especializado, englobando feridas, estomas e incontinências. A proposta metodológica é a da Pesquisa Convergente-Assistencial, desenho de pesquisa que permite ao pesquisador identificar um objeto de estudo a partir da prática assistencial, desenvolvendo propostas de intervenção com vistas à produção de um produto, que nesse caso, é a implantação de um serviço de referência de Enfermagem em Estomaterapia.


5) TRABALHO E SUBJETIVIDADE: ESTUDOS COM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM EM UNIDADES ASSISTENCIAIS E DE ENSINO

Equipe:
NORMA VALERIA DANTAS DE OLIVEIRA SOUZA (Responsável pelo Projeto), SHEILA NASCIMENTO PEREIRA DE FARIAS, CAROLINA VIEGAS DE MELLO, DAYSE CARVALHO DO NASCIMENTO, MARIANA BARCI DE SOUZA, MIDIAN OLIVEIRA DIAS, Eloá Carneiro Carvalho, Samira Silva Santos Soares, Karla Biancha Silva de Andrade, Sandra Regina Maciqueira Pereira, Carolina Viegas de Melo, Thereza Christina Mó Y Mó Loureiro Varella, Anna Beatryz Marques Roque, Marcia de Souza Silva, Silvio Arcanjo Matos, Filho, Ninalva de Andrade Silva, Carolina Cabral Pereira da Costa, Raquel Soares Pedro e Marcia Teresa Luz Lisboa.
Linha de pesquisa: 2
Descrição: Busca-se investigar o modo como os sujeitos vivenciam e sentem suas experiências de trabalho, considerando-se as influências históricas, econômicas, sociais, psicológicas, religiosas e de gênero. O interesse centra-se na relação dinâmica entre as pessoas e suas atividades produtivas mediante as interferências e as articulações do contexto em que se encontram. Objetiva-se estudar o cotidiano de trabalho dos profissionais de enfermagem para além do enfoque eminentemente técnico e econômico, tendo como meta principal analisar as conexões que são engendradas na relação entre trabalho e modos de agir, pensar e sentir das pessoas num determinado momento histórico-social e suas implicações para a saúde do trabalhador. A pesquisa desenvolve-se em unidades assistenciais e de ensino, com a abordagem qualitativa e quantitativa. Espera-se, com o estudo, contribuir para a melhoria da saúde do trabalhador e para construção e consolidação do conhecimento na Linha de Pesquisa "O Trabalho e a Formação em Saúde e Enfermagem".


6) RISCOS PSICOSSOCIAIS NO PROCESSO DE TRABALHO E DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE

Equipe: ELIAS BARBOSA DE OLIVEIRA (Responsável pelo Projeto), BRUNA DE JESUS FREITAS, CARLOS HENRIQUE DE SOUSA CORDEIRO, CAROLINE NASCIMENTO LEITE, FERNANDA CHAGAS MARQUES, FERNANDA MEDEIROS DA FONSECA BEIRAL, GILVANA JESSICA DE OLIVEIRA, LORRANE PINHEIRO MOREIRA FERREIRA, LUCAS BARBOSA SANTOS DIAS, MAYSA RODRIGUES GUEDES, NATALIA VICTOR MADEIRA SENNA, OLIVIA DE ANDRADE GUERRA, RAPHAEL LOPES VALERIO, RENATA DOS ANJOS CORREA CARVALHO, SILVIA REGINA CARVALHO DE SOUZA DA SILVA, TATIANE SOUZA DE OLIVEIRA, TATIANE XAVIER e THIAGO CARVALHO DE SOUZA.
Linha de pesquisa: 2
Descrição: A Organização Mundial de Saúde e Organização Internacional do Trabalho alertam para a importância do diagnóstico, prevenção e monitoramento dos riscos psicossociais no trabalho a partir da realização de pesquisas que deem visibilidade aos riscos. Há um grande número de trabalhadores afastados dos postos de trabalho devido ao estresse ocupacional acarretado aos trabalhadores em função de fatores como precarização do trabalho, terceirização baixos salários e condições insalubres. Na área hospitalar os riscos psicossociais afetam um grande contingente de trabalhadores, e, em especial da enfermagem devido as jornadas extensas, o duplo vínculo empregatício, a morte e o sofrimentos dos pacientes e familiares, a violência do trabalho e no trabalho. Pesquisa que tem por objetivo identificar e avaliar os riscos que os trabalhadores em saúde enfrentam no trabalho, as repercussões para a saúde e os mecanismos de enfrentamento. Métodos quanti e qualitativos mediante a aplicação de instrumentos validados nacional e internacionalmente e questionários, o que poderá contribuir para o diagnóstico e medidas que minimizem o estresse ocupacional do grupo e os encargos psicossociais e econômicos.


7) SEXUALIDADE E VULNERABILIDADE DOS JOVENS EM TEMPOS DE INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

Equipe: THELMA SPINDOLA (Responsável pelo Projeto), AGATHA SOARES DE BARROS, VINICIUS RODRIGUES FERNANDES FONTE, ROSANA SANTOS COSTA SANTANA, RAQUEL DA CONCEIÇÃO DE ALMEIDA RAMOS, ERICA JESUS BROCHADO, RAYANNI SAMPAIO TEIXEIRA, BARBARA INGENITO DE OLIVEIRA, GISELE SILVA FIGUEIREDO LIMA, BARBARA GALVAO DOS SANTOS SOARES, BEATRIZ JESUS SALGADO DE BRITO• CATARINA VALENTIM VIEIRA DA MOTTA, CLAUDIA SILVIA ROCHA OLIVEIRA, DEBORA FERNANDA SOUSA MARINHO, DENIZE CRISTINA DE OLIVEIRA, LETICIA MATIAS FERREIRA, MELANIE DE SANTANA MOZZER, SERGIO CORREA MARQUES, DAVI CORTES DE MEDEIROS, CAROLINA PASSOS SODRÉ, LETICIA BRITO TAMBASCO, HUGO DE ANDRADE PEIXOTO e LAERCIO DELEON DE MELO.
Linha de pesquisa: 3
Descrição: Sabe-se que as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) acometem milhares de pessoas anualmente e que a sexualidade é um componente intrínseco do ser humano. Muitas vezes as estratégias empregadas para orientar sobre a prevenção de IST nem sempre são eficazes e conseguem atingir o público alvo, e na presença de álcool e/ou drogas se fica limitado para decidir sobre práticas preventivas para IST e outros agravos para a saúde e que os jovens apresentam condutas sexuais diferenciadas conforme o gênero. Esse projeto em abordagem quanti-qualitativa tem o propósito de analisar as vulnerabilidades próprias dos jovens em relação à sua saúde sexual; descrever o comportamento dos jovens em relação às infecções sexualmente transmissíveis e as práticas sexuais destes no contexto da sexualidade; discutir práticas educativas, limites e possibilidades de estratégias para contribuir com a educação em saúde do grupo e o papel do enfermeiro nas orientações para a saúde sexual dos jovens.


8) SABERES, ATITUDES E PRÁTICAS DE PREVENÇÃO DE INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS ENTRE JOVENS

Equipe: THELMA SPINDOLA (Responsável pelo Projeto), THUANY DE OLIVEIRA ABREU, NATHALIA DOS SANTOS TRINDADE MOERBECK, LEONARDO MICHEL CORRÊA BARROS, VINICIUS RODRIGUES FERNADES FONTE, PAULA COSTA DE MORAES, SERGIO CORREA MARQUES, DENIZE CRISTINA DE OLIVEIRA, CATARINA VALENTIM VIEIRA DA MOTTA, BARBARA GALVAO DOS SANTOS SOARES, NOEMIA LIMA BRASIL DE AMORIM DAVI CORTES DE MEDEIROS, HUGO DE ANDRADE PEIXOTO, NATHALIA LOURDES N. O. ANDRÉ, DIANA CAROLINE CORREA KARKOUR e GABRIEL TEIXEIRA CAVALCANTE.
Linha de pesquisa: 3
Descrição: As infecções sexualmente transmissíveis (IST) tem grande impacto na população, especialmente entre os jovens, que nem sempre adotam comportamentos adequados para a preservação da sua saúde sexual. Os jovens são vulneráveis às IST em decorrência de alguns fatores como o inicio precoce das atividades sexuais e sem uma orientação adequada, pelo uso inconsistente (ou não uso) do preservativo, uso de álcool e drogas antes das relações sexuais, o que compromete o emprego dos preservativos, além da multiplicidade de parcerias sexuais. Este estudo apoiado na Teoria das Representações Sociais tem o objetivo de analisar as representações sociais e as práticas de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis de jovens; Identificar o conhecimento dos jovens acerca das práticas de prevenção das IST; Caracterizar as práticas de prevenção de IST adotadas por jovens; Comparar os conhecimentos e as práticas sobre prevenção de IST adotados por jovens; Analisar as relações estabelecidas entre representações e práticas de prevenção de IST por jovens. Salienta-se que o grupo jovem é constituído por indivíduos que apresentam orientação sexual distinta e, portanto, podem ter práticas de prevenção de IST diferenciados sendo oportuno investigar essa diversidade de comportamentos sexuais e de prevenção de agravos para a saúde sexual.


9) CULTURA DE SEGURANÇA NO CENTRO CIRÚRGICO UNIVERSITÁRIO

Equipe: Cíntia Fassarella (Responsável pelo Projeto), Nathália Henriques Veiga.
Linha de pesquisa: 1
Descrição: O objetivo geral do presente projeto é: -Avaliar a cultura de segurança do paciente em centro cirúrgico universitário, a partir a equipe multidisciplinar. Os objetivos específicos são:
-Identificar as diferenças da cultura de segurança por idade, categoria profissional e experiência na instituição.
-Averiguar como os domínios de cultura de segurança na equipe multidisciplinar no centro cirúrgico, influenciam na segurança do paciente.
-Analisar os possíveis impactos dos domínios de cultura de segurança, estabelecido pelo questionário, no processo de trabalho no centro cirúrgico universitário.


10) Fortalecimento da atuação desmedicalizada das enfermeiras obstétricas em maternidade de alto risco com o uso das Tecnologias Não-Invasivas de Cuidado

Equipe: Juliana Amaral Prata (Responsável pelo Projeto), Letícia Linhares Braga - Bolsista, Laura Greco Gioia - Bolsista voluntária, Catarina Valentim Vieira da Motta - Bolsista voluntária e Juliana Silva Holanda - Bolsista voluntária.
Linha de pesquisa: 3
Descrição: Objetivos geral: contribuir para a desmedicalização da assistência na maternidade de alto risco por meio do fortalecimento da atuação das enfermeiras obstétricas no cuidado às mulheres com risco obstétrico associado, do incentivo ao uso de TNICEO e da promoção do trabalho colaborativo.Objetivos específicos: Propor a implementação de um plano de ação que promove o trabalho colaborativo na maternidade de alto risco e impulsiona o uso de TNICEO pelas enfermeiras obstétricas; Desenvolver ações voltadas para o fortalecimento da atuação das enfermeiras obstétricas na assistência às mulheres com risco obstétrico por meio do uso das TNICEO; Avaliar o impacto destas intervenções sobre a utilização das TNICEO pelas enfermeiras obstétricas na maternidade de alto risco. Métodos: pesquisa-ação em uma maternidade de alto risco de um hospital universitário do Estado do Rio de Janeiro, com a equipe de enfermagem do centro obstétrico e as chefias de enfermagem da instituição. Para a análise dos dados quantitativos será utilizada estatística descritiva simples, aplicada aos materiais gerados através de questionários estruturados para levantar os indicadores mensais da assistência no centro obstétrico e de utilização das TNICEO. Para a análise qualitativa, será adotada a análise de conteúdo dos dados produzidos por meio de entrevistas semi- estruturadas.


11) Colaboração interprofissional na atenção obstétrica às gestações de alto risco

Equipe: Juliana Amaral Prata (Responsável pelo Projeto), PATRICIA ALVES DOS SANTOS SILVA, PRISCILLA FARIAS CHAGAS, VANESSA CRISTINA MAURICIO, ANNA BEATRYZ MARQUES ROQUE, BEATRIZ OLIVEIRA NASCIMENTO, DAYSE CARVALHO DO NASCIMENTO, JAKELINE COSTA DOS SANTOS, LIVIA NUNES RODRIGUES LEME, Rafael Seabra Polidoro Cardoso, Caroline Rodrigues de Oliveira, Adriana Raineri Radighieri, Laura Queiroz dos Anjos e Thamires Fernandes Jorge.
Linha de pesquisa: 3
Descrição: Objetivos: conhecer as atitudes dos profissionais de saúde quanto à colaboração interprofissional na atenção obstétrica de alto risco; avaliar o nível de colaboração interprofissional entre profissionais de saúde na atenção obstétrica de alto risco; identificar fatores associados às atitudes de colaboração interprofissional na atenção obstétrica de alto risco. Método: Estudo exploratório, descritivo e de abordagem mista, com profissionais de saúde do centro obstétrico de um hospital universitário do estado do Rio de Janeiro. Os dados serão coletados por meio da autoaplicação de um instrumento validado, Escala Jefferson de Atitudes Relacionadas à Colaboração Interprofissional (EJARCI), contendo também informações socioprofissionais; seguida de uma entrevista individual composta por quatro perguntas abertas. Os dados quantitativos serão analisados segundo análise descritiva das variáveis e o dados qualitativos processados pelo software IRAMUTEQ. O conhecimento das atitudes dos profissionais em relação à colaboração interprofissional oferecerá subsídios para o desenvolvimento de ações de educação permanente na atenção obstétrica, o que impulsionará mudanças nas relações hierarquizadas, nas práticas medicalizadas e, consequentemente, contribuirá para a otimização de recursos e qualificação da assistência no alto risco.